NOTA DE PESAR

A comunidade acadêmica da Universidade de Pernambuco (UPE) externa seu mais profundo pesar em razão do falecimento de Caio Pereira Neto, cirurgião do Procape.

Caio formou-se em Medicina no ano de 1976 na Faculdade de Ciências Médicas. Fez especialização em cirurgia plástica estética e reconstrutora. No Procape, era responsável pela cirurgia reparadora. 

Leia mais...

Projeto de extensão do Campus Mata Norte da UPE promove festival de xadrez em Tracunhaém

O Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco promove, em parceria com as secretarias municipais de Educação e Turismo e Esporte, o I Festival da Cidade de Tracunhaém de Xadrez. A competição acontecerá no sábado (18), das 9h às 15h, no Parque de Eventos da cidade.

As inscrições podem ser realizadas através de formulário Google (https://forms.gle/cwhGgajAhYfeU7NL8). A taxa será de R$ 20 ou doação de um brinquedo que será encaminhado para uma instituição infantil de Tracunhaém. Aqueles que não podem pagar ou doar um brinquedo podem requisitar a inscrição solidária. O prazo para o registro da vaga termina no dia 17.

O I Festival da Cidade de Tracunhaém de Xadrez integra as ações do projeto de extensão da UPE Xadrez nas Escolas, coordenado pelo docente do curso de licenciatura em Matemática Gerson Henrique da Silva, nascido no município. O evento fará homenagens aos professores e também enxadristas Rinaldo José de Lima e Cláudio Roberto Barroso da Silva.

O sistema adotado será o suíço, com disputa em seis rodadas. O regulamento digital está disponível em https://www.talsker.com/tournament/48a930a1-8d90-415a-a829-3fca8f21b6d1/. Maiores informações com o professor Louis Lins, através do telefone (81) 99707-5625 ou WhatsApp: https://wa.me/5581997075625.

Voltado para estudantes do 6° ano ensino fundamental até o 3° ano do ensino médio, o projeto Xadrez nas Escolas tem o objetivo de distribuir kits de xadrez (tabuleiros, relógios e livros) e realizar oficinas, microcursos e competições principalmente em três cidades da Mata Norte: Carpina, Nazaré da Mata e Tracunhaém. Os professores da UPE que integram o projeto de extensão buscam convencer mais escolas a instituir o xadrez como disciplina eletiva.

UPE entrega título de Doutor Honoris Causa a Manoelzinho Salustiano, mestre da cultura popular

A Universidade de Pernambuco realiza nesta terça-feira (14) a solenidade de outorga do título de Doutor Honoris Causa a Manoel Salustiano Soares Filho, o mestre Manoelzinho Salustiano. Trata-se do primeiro indicado pelo Campus Mata Norte da UPE a receber a mais alta distinção da UPE.

O título de Doutor Honoris Causa é concedido a pessoas eminentes, que não necessariamente sejam portadoras de um diploma universitário, mas que tenham se destacado em determinada área do conhecimento (artes, ciências, filosofia, letras, promoção da paz, de causas humanitárias, entre outras), ou ainda por sua boa reputação, virtude, mérito ou ações de serviço que transcendam famílias, pessoas ou instituições.

Com transmissão ao vivo pelo canal UPE nas Redes no YouTube, o evento acontecerá a partir das 10h no auditório da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças (FENSG), no Campus Santo Amaro.

Mestre do bordado, mestre de dança, folgazão do Maracatu de Baque Solto, instrumentista, educador/formador das culturas populares, gestor e produtor cultural, palestrante e representante de Pernambuco e do Brasil em diversos eventos, Manoelzinho Salustiano foi agraciado em agosto deste ano com Mestre de Notório Saber pela UPE.

BIOGRAFIA - Manoel Salustiano Soares Filho nasceu no dia 31 de outubro de 1969 no município de Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife. Filho mais velho de Manoel Salustiano Soares, o Mestre Salu, e Tereza Maria Soares, desde cedo teve contato com o universo das brincadeiras populares: cavalo-marinho, maracatu, ciranda, mamulengo, caboclinho, boi, burra e coco.

Em 1977, o seu pai criou o Maracatu Piaba de Ouro, onde Manoelzinho Salustiano atuou como secretário, tesoureiro e presidente por diversos anos. Com influência dos mestres João Calumby e Rubens Martins, em 1983 iniciou o aprendizado da arte de bordar golas de caboclo de lança e estandartes de agremiação carnavalescas, ofício que desenvolve atualmente.

Contribuiu com a organização das manifestações culturais na Zona da Mata Norte de Pernambuco, com participação na fundação da Associação dos Maracatus de Baque Solto, na qual ocupou diversos cargos de gestor, inclusive presidente. Com o trabalho junto aos mestres e folgazões desta região, colaborou com o processo de pacificação das manifestações populares das cidades da Mata Norte.

Atuou ainda como docente na Casa da Criança de Olinda e coordenador do palco de cultura popular do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Em 2011 realizou a exposição do estandarte “Diversidade Cultural”, peça afixada no Largo da Lapa, no Rio de Janeiro, com medidas de 10 m x 5,80 m, considerado o maior estandarte confeccionado à mão no mundo. Em 2012 a sua obra deu origem à exposição “Arte de Manoelzinho Salustiano Pede Passagem”, exibida no Centro Cultural dos Correios do Recife.

Outorga de título de Doutor Honoris Causa a mestre Manoelzinho Salustiano é "ato de resistência" e reconhecimento da UPE da importância da cultura popular

Um mestre da cultura popular é agora oficialmente Doutor Honoris Causa da Universidade de Pernambuco. Um ano depois de ter seu nome aprovado pelo Conselho Universitário (CONSUN) da instituição, Manoel Salustiano Soares Filho recebeu a mais alta distinção da UPE em uma cerimônia que contou com a presença de lanceiros do maracatu de baque solto.

A outorga do título ocorreu na manhã desta terça-feira (14), no auditório da da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças (FENSG), no Campus Santo Amaro. A diretora do Multicampi Mata Norte e Sul, Maria Auxiliadora Leal Campos, definiu em uma palavra o que representou ter o primeiro indicado da unidade regional de ensino a receber a honraria: "resistência". Um termo com muito significado para a educação e a cultura nestes tempos atuais.

O reconhecimento à importância da cultura popular também foi destacado pelo reitor Pedro Falcão, que em seu discurso disse estar "honrado" em participar de um momento histórico. "Assumimos o compromisso, eu e a vice-reitora Socorro Cavalcanti, de dialogar com todos os setores da sociedade pernambucana. O conhecimento não é produzido apenas nas salas de aula e nem nos laboratórios. Devemos compreender que a nossa produção é feita para o povo e pelo povo", destacou.

Em um auditório tomado por familiares e amigos, Manoelzinho Salustiano não escondeu a emoção de receber uma homenagem que o fez "perder a vergonha de assinar seu nome com garrancho". Ele fez questão de agradecer a todas as pessoas que lhe ajudaram na sua formação e que lhe encorajam a seguir em frente, defendendo o legado dos mestres mesmo diante de todas dificuldades. "Eu não tive uma educação formal, mas estive na maior faculdade do mundo, que é a faculdade da cultura popular".

Coube à filha Gabriela Maria Santos Soares, que é estudante de História da UPE em Nazaré da Mata, fazer o discurso panegírico. Ela destacou a importãncia dos pais de Manoelzinho na formação do mestre e ressaltou que ele já era portador de diplomas que o saber popular lhe conferiu ao longo dos seus mais de 50 anos de vida.

Além do título de Doutor Honoris Causa, Manoelzinho Salustiano também recebeu exemplares do livro sobre a sua trajetória escrito pelos professores do Curso de História da UPE – Campus Mata Norte, Carlos André Silva de Moura, Mário Ribeiro dos Santos e Sandra Simone Moraes de Araújo. A obra bilíngue (português/inglês) de 208 páginas estará disponível no site da Editora da Universidade de Pernambuco (Edupe).

A vice-governadora Luciana Santos deixou mensagem em vídeo a respeito da importância do registro em livro e do reconhecimento do trabalho de Manoelzinho Salustiano. A mesa de honra foi composta ainda pela diretora da FENSG, Maria do Socorro Mendonça Cavalcanti e pelo vice-diretor do Multicampi Mata Norte e Sul João Allyson Ribeiro de Carvalho.

Aa cerimônia pode ser conferida na íntegra no canal UPE nas Redes no Youtube (

).

Livro sobre Manoelzinho Salustiano, novo Doutor Honoris Causa da UPE, será lançado pela Edupe

O mestre popular Manoelzinho Salustiano tem sua trajetória narrada em livro que será lançado nesta terça-feira (14), dia em que o dirigente da Associação de Maracatus de Baque Solto de Pernambuco recebe o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Pernambuco.

Com 208 páginas em versão bilíngue (português/inglês), “Manoelzinho Salustiano: histórias de um mestre no terreiro” apresenta a vida do multiartista e mestre da cultura, com suas contribuições para os diferentes segmentos artísticos no Brasil.

Publicada pela Editora da Universidade de Pernambuco (Edupe), a obra é de autoria dos professores dos professores do Curso de História da UPE – Campus Mata Norte, Carlos André Silva de Moura, Mário Ribeiro dos Santos e Sandra Simone Moraes de Araújo.

O prefácio é do reitor Pedro Henrique de Barros Falcão, apresentação do governador Paulo Câmara e contracapa da vice-governadora Luciana Santos e dos professores Maria Auxiliadora e João Alysson, diretora e vice-diretora da UPE – Campus Mata Norte.

O lançamento oficial acontece a partir das 10h de terça, durante a solenidade de outorga do título de Doutor Honoris Causa a Manoel Salustiano Soares Filho no auditório da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças (FENSG), no Campus Santo Amaro.

O livro é resultado de mais de um ano de pesquisa. Além de dirigente de maracatu, o filho mais velho do mestre Salustiano – um dos principais nomes da cultura popular brasileira, falecido em 2008 – também é conhecido pelo seu trabalho de bordadeiro de estandartes e pela habilidade em unir as agremiações em torno da valorização de suas manifestações artísticas.

Manoelzinho é o primeiro Doutor Honoris Causa indicado pelo Campus Mata Norte e aprovado em dezembro do ano passado através da resolução 026/2020. Ele foi ainda um dos 25 mestres agraciados com o título de Notório Saber em Cultura Popular concedido pela UPE em agosto dentro das celebrações dos 30 anos de fundação da universidade.