Próximas eleições para reitor na UPE serão totalmente online

As próximas eleições para reitor, vice-reitor e diretores e vices das unidades de educação da Universidade de Pernambuco (UPE) ocorrerão de forma online, através de celulares, tablets e computadores. A nova regulamentação, aprovada pelo Conselho Universitário (CONSUN), deve garantir o sigilo, a rastreabilidade (sem identificação do votante) e a auditabilidade do sistema. As medidas temporárias para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 também contribuíram para a definição do novo processo, já que todos os estudantes passaram a ter e-mail institucional (@upe.br) para o acesso às aulas de forma remota.

Ao todo, cerca de 20 mil eleitores, entre professores, servidores e alunos, participam do processo de escolha dos dirigentes máximos da UPE. Nas próximas eleições, programadas para o segundo semestre de 2022, cada um deles receberá, através de seu e-mail institucional, as informações e orientações necessárias para o acesso ao painel de votação.

O sistema eleitoral será acessado - via link próprio de votação, usuário e senha - através apenas do e-mail institucional de cada segmento da universidade: magistério superior, técnico-administrativos e discentes. No painel de votação constarão as chapas com os nomes dos concorrentes, seguindo ordem obtida em sorteio.

O Núcleo de Comunicação e Tecnologia (NCTI) vai administrar o sistema de votação online, garantindo a segurança dos dados. A UPE deverá disponibilizar computadores em seus ambientes físicos para quem desejar votar desta forma.

Mestres populares receberão título de "Notório Saber" da UPE

Foto: Renata Pires/Secult

A Universidade de Pernambuco (UPE) vai emitir títulos de “Notório Saber em Cultura Popular”, reconhecendo os conhecimentos vindos de tradições indígenas, afro-brasileiras, quilombolas e outras manifestações, inclusive artísticas.

Uma comissão de especialistas será designada pela Câmara de Extensão e Cultura da instituição para avaliar as candidaturas. Em virtude da pandemia, os interessados podem se inscrever preenchendo um formulário específico, descrevendo a sua atuação e informando se já possuem, por exemplo, reconhecimento ao título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, concedido pela Fundarpe.  

Com o título de Notório Saber, além do reconhecimento dos seus saberes e fazeres, os mestres poderão ser convidados por universidades e outras instituições de ensino para palestras e outras atividades, sendo tratados da mesma forma que professores que contam com essa distinção.

A resolução 020/2020 foi aprovada pelo Conselho Universitário (CONSUN), em reunião realizada em 27 de novembro e referendada nesta terça-feira (01/12). Outras universidades brasileiras também já tomaram esta iniciativa, valorizando a experiência cultural além do universo acadêmico.

Com sistema híbrido, novo calendário da UPE traz novidades para estudantes

O Calendário Acadêmico da Universidade de Pernambuco (UPE) para a conclusão do ano letivo de 2020 obedecerá o sistema híbrido, com aulas presenciais e remotas, em virtude da pandemia de Covid-19. Caberá a cada unidade de educação e seus respectivos Plenos de Curso definir o formato da oferta dos componentes curriculares, de acordo com as diretrizes curriculares, seus projetos pedagógicos e os protocolos de retomada das atividades acadêmicas.

O primeiro semestre letivo de 2020 começará no dia 8 de fevereiro de 2021. As aulas referentes a 2020.1 seguirão até 22 de maio, totalizando 14 semanas de duração. O período correspondente a 2020.2 será de 14 de junho a 16 de setembro. Oficialmente, o primeiro semestre de 2021 começará no dia 13 de outubro. Os vestibulandos que ingressarem na UPE no próximo ano via Enem/Sisu terão que esperar até esta data para se tornarem universitários.

De acordo com a resolução número 093/2020 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), aprovada em 26 de novembro, não serão contabilizados na retomada das atividades do semestre 2020.1 os dias letivos vivenciados antes da suspensão das atividades em virtude da quarentena. As aulas síncronas serão vivenciadas no mesmo turno de matrícula efetuado pelos estudantes.

A resolução possibilita também a substituição de atividades presenciais relacionadas à avaliação - como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Estágio Supervisionado obrigatório, atividades práticas e aulas de laboratório - por atividades não presenciais, através da mediação de Tecnologias Digitais de informação e Comunicação.

Os estudantes dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia e Medicina que tiverem completado 75% dos estágios supervisionados obrigatórios/internato e cursado com êxito todos os demais componentes curriculares obrigatórios, previstos no PCC de suas graduações, poderão solicitar antecipação da colação de grau.

Em função do aproveitamento de componentes curriculares do Período Letivo Suplementar (2020.3), as coordenações dos cursos poderão ajustar os horários e as turmas no semestre 2020.1 desde que não haja prejuízos para os estudantes.

Os trancamentos de semestres realizados pelos estudantes para o ano letivo de 2020, enquanto perdurar a situação de emergência pública, não serão computados para a integralização dos cursos de graduação. Os estudantes egressos em 2020.1 terão a possibilidade de modificar a matrícula, podendo inserir ou excluir componentes curriculares, bem como realizar o trancamento do semestre.

Estudantes de graduação presencial sem equipamentos adequados, com conectividade restrita ou outras limitações técnicas poderão usar os laboratórios de informática/computação dos campi da UPE para desenvolver as suas atividades de ensino remoto, respeitando-se os protocolos sanitários e os rodízios instituídos por cada unidade.

Os docentes devem apresentar, para os semestres letivos 2020.1 e 2020.2, novos Planos de Atividades, com detalhamento dos conteúdos, da metodologia, da carga horária, do cronograma, dos exames de avaliação, das ferramentas digitais utilizadas e da bibliografia para a vivência do componente curricular, no formato definido nos Plenos de Cursos.

Saúde mental materna é tema de novo podcast de projeto de extensão da UPE

Já está no ar o terceiro podcast da série “IST: Informando sem tabu - Saúde da Mulher”, um projeto do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) e da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC) da Universidade de Pernambuco (UPE). O entrevistado da vez foi o psiquiatra André Aquino, que falou sobre "Saúde mental materna". A conversa com o estudante Luiz Ricardo Avelino tem duração de 27m14s.

André Aquino aborda questões como a pressão imposta sobre a mulher no período de gestação, parto e pós-parto. Ele destaca ainda a diferença entre o baby blues (disforia puerperal) e a depressão pós-parto. Segundo o psiquiatra, no primeiro caso o incômodo dura em torno de duas semanas. A partir deste prazo, os cuidados devem ser redobrados. “É preciso observar os aspectos mentais e emocionais que podem desencadear algum tipo de transtorno mental”, alerta.

Os podcasts da série “Saúde da Mulher” tiveram a sua veiculação iniciada em setembro, mês da campanha brasileira de prevenção ao suicídio (Setembro Amarelo). No primeiro episódio, o médico Matheus Glasner abordou o tema “Atenção obstétrica durante a pandemia” (duração: 20m20s). A médica Rozely Henrique da Silva Fontoura foi a convidada do segundo episódio, que tratou do tema “Violência obstétrica” (duração: 26m38s).  Os podcasts podem ser acessados neste link: http://www.upe.br/serie-podcasts-saude-da-mulher.html.

O projeto “IST: Informando sem tabu” surgiu em 2019 para promover a troca de informações com estudantes do ensino médio das escolas da rede pública do Recife sobre prevenção de doenças ligadas à sexualidade. Em 2020, a ideia foi de ampliar os assuntos e o alcance, utilizando as redes sociais e o canal do YouTube da UPE.

O grupo responsável pelo conteúdo é formado pelos extensionistas Cláudio Cordeiro, Daline Dias, Gustavo Ferreira, Luiz Ricardo Avelino, Maria Gabriela Paz, Polinny Fragoso e Walliana Andrade, alunos de Ciências Biológicas, e Maria Laura Calado, Nathália Carvalho e Victoria Lays Coutinho, alunas de Medicina. As professoras do ICB/UPE, Eliane Coimbra e Marcela Wanderley, são as orientadoras.

Mais saúde e menos preconceito: HUOC participa da luta diária contra a Aids

A detecção precoce do HIV - vírus que ataca o sistema imunológico e que é transmitido, principalmente, em relações sexuais não protegidas - permite que o paciente tenha acesso ao tratamento adequado em tempo oportuno. Isto representa mais qualidade de vida e evita o desenvolvimento da Aids e suas enfermidades oportunistas. Pernambuco vem registrando uma queda nos casos, reflexo da maior oferta de testes rápidos e imediato tratamento. 

O Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), vinculado à Universidade de Pernambuco (UPE), é uma das três unidades de saúde do estado que oferecem um dos novos métodos preventivos disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Trata-se da profilaxia pré-exposição do HIV (PrEP), uma combinação de dois medicamentos (Tenofovir + Entricitabina), em um único comprimido, que bloqueia alguns “caminhos” que o vírus usa para infectar o organismo. 

Para que a medicação possa impedir que o HIV se estabeleça e se espalhe pelo corpo é preciso fazer uso diariamente. O paciente precisa estar cadastrado e comparecer a consultas periódicas para acompanhamento. O Hospital das Clínicas (HC) e CTA/SAE de Caruaru também disponibilizam o PrEP. 

Quando há uma falha no método contraceptivo ou caso de violência sexual, também existe a profilaxia pós-exposição (PEP). Essa é uma forma de prevenção ao vírus do HIV utilizando medicamentos que fazem parte do tratamento da infecção pelo HIV e Aids (Tenofovir + Lamivudina + Dolutegravir). Esses medicamentos precisam ser tomados por 28 dias, sem parar, para impedir a infecção pelo vírus, sempre com orientação médica. 

Nesta terça-feira (01/12), Dia Mundial de Luta contra a Aids, é importante destacar a necessidade da prevenção, com o uso do preservativo peniano ou vaginal em todas as relações sexuais. Também permanece o desafio de acabar com os estigmas e preconceitos relacionados ao HIV/Aids. 

Com informações da Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES)